9 de dezembro de 2016

Manique do Intendente, 2006
amostra. Um quê de nada.

8 de dezembro de 2016

desafoga a vista. Num quarto minguado.

7 de dezembro de 2016

derruba o significante. Numa torra de café.

6 de dezembro de 2016

se consagra. Num baile de analfabetos.

5 de dezembro de 2016

se desafoga na claridão dos montes.

4 de dezembro de 2016

surge. Numa afronta à desilusão. Numa estrada calma. E de noite bem cerrada.